Vitor, Claro!

0 Permalink 0

tu podes assim tu queiras

vivemos num mundo cada vez mais global o que provoca situações antagónicas.

o escuro e o claro.
o grande e o pequeno.
Mc donald´s e fast food e a alta cozinha refinada, exagerada, caricatura dos nossos tempos.
cada vez mais a alta cozinha exagera e torna-se num circo.
um circo onde o show é cada vez mais importante e a matéria prima cada vez menos relevante.

já chega de exageros excêntricos.

o simpático e calmo claro que é o Vitor parece querer com o seu novo restaurante, criar uma ilha onde os extremos não existem.

embora seja claro e não escuro, a harmonia, a precisão, a contenção e a procura pelo produto fresco e local, o simples, embora elaborado e por vezes arriscado parecem ser o caminho certo para o claro!

não será o caminho mais fácil este caminho calmo, harmonioso, leve sem “macaquices”, mas no meu entender o caminho ideal para garantir um futuro que não passe por modas e excentricidades momentâneas.
o Vítor é uma pessoa especial. o facto de ouvir mal (as vezes melhor as vezes pior) faz com que ele viva uma vida a parte do resto do mundo. vive de alguma maneira isolado. isolamento esse que faz com que ele possa desligar do nosso mundo feroz, rapidíssimo e agressivo.

dá-lhe tempo para PENSAR, filosofar, imaginar, SONHAR.
dá-lhe uma calma e distancia que são de invejar.
dá-lhe a rara possibilidade de pensar PROFUNDAMENTE nos detalhes.

alguns importantes outros pequenos detalhes.

dá-lhe a liberdade, o tempo, a vontade, a força de “meter o nariz onde não é chamado”, conhecer outros mundos e adaptar aprendizagens para a sua vida e trabalho.

dá-lhe a capacidade de fazer um dos melhores vinhos brancos portugueses. terá sido a sorte de principiante? eu pessoalmente acho que a sorte da muito trabalho. a maneira como arregaçou as mangas e foi ao campo tentar perceber o que são vinhas. quais as diferenças, e porque?

conseguiu com todo o mérito próprio fazer um grande vinho aprendendo com quem sabe, ouvindo e perguntando, “melgando” pessoas ligadas ao vinho.

o Vitor e um bom exemplo de duas frases filosóficas que me parecem muito importantes na vida:

TU PODES ASSIM TU QUEIRAS

QUANTO MAIOR FOR A CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO MAIS UMA PESSOA PODERÁ FAZER O QUE BEM ENTENDER.
(ter a capacidade de adaptação não quer dizer que uma pessoa se adapte sempre…).

penso que o Vitor e inteligente e não vai querer ser o melhor cozinheiro do mundo.

no entanto parece me que esta a dar os primeiros passos para criar um grande restaurante com muita individualidade baseado na qualidade, na qualidade e na qualidade com algumas macaquices simpáticas.

e claro que é para mim provavelmente o cozinheiro no mundo que conheço que mais se interessa por vinho.

tem uma vontade enorme de conhecer mas curiosamente tenta sempre perceber a tipicidade, as regiões. a questão de gostar ou não de um vinho, de uma região que desconheça e menos importante do que tentar perceber o porque.
esta curiosidade e abertura de espírito abrem muitas portas ao vitor de ir ao fundo as questões. não simplifica a vida mas dá consistência em tudo o que faz.

Dirk Niepoort

0

No Comments Yet.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *